Saúde & estilo de vida

Percepções humanas no desenvolvimento dos órgãos dos sentidos.
Os cuidados com a neuroplasticidade contribuem com a saúde em todas fases da vida.

Esses sentidos podem ser classificados em três diferentes agrupamentos. Os primeiros quatro sentidos físicos volitivos ou inferiores, também chamados de corporais, surgem na fase do desenvolvimento e integração neurofuncional, até os sete anos de idade. São eles:

• O Sentido do Tato – contrariamente ao que possamos pensar, inicialmente não nos informa sobre o mundo, mas sobre os nossos limites físicos, até onde eu sou EU. É a base para, mais tarde, compreendermos o eu da outra pessoa.

• O Sentido Vital – traz a sensação de estar no corpo, de fazer parte dele. Recebemos informações sobre nosso estado de bem-estar ou mal-estar por meio do sistema nervoso simpático e parassimpático. Com o tato sentimos as fronteiras do nosso corpo físico; o vital informa sobre o estado dos processos metabólicos que compõem nosso corpo vivo, algo que está em constante vir a ser. Leva ao desenvolvimento do pensamento vivo.

• No Sentido do Movimento – por meio desse sentido obtemos uma potencialização de nosso âmbito sensorial, proporcionando a percepção da nossa posi¬ção no espaço e das diversas partes do nosso corpo entre si. Para Rudolf Steiner, a boa percepção a seu respeito nos amadurece para o domínio da linguagem escrita e falada.

• O Sentido de Equilíbrio – conta com um órgão especial, os canais semicirculares da orelha interna, e relaciona-se com o cerebelo e a visão também. Permite que ao nos movimentar para diferentes lados não deixemos para trás o que vive no corpo, mantendo nosso centro de gravidade equilibrado em relação ao da Terra. Para Steiner, seu desenvolvimento proporciona a sensação de paz interna.


Fontes:

http://www.antroposofy.com.br/forum/download/artigos/12%20Sentidos.pdf, acesso em 20/2/2019.

• BALDISSIN, Maurício, Percepções Humanas – antroposofia e neurociências. Editora Antroposófica. http://www.neurodiagnose.com.br/percepcoes-humanas-sob-a-otica-da-antroposofia-e-das-neurociencias.htm, acesso em 20/2/2019.

• BALDISSIN, Maurício, Aprendizado e percepções humanas segundo a antroposofia e as neurociências. Arte médica ampliada / Sociedade Brasileira de Médicos Antroposóficos, v.34, p.13, 2014. Learning and uman perceptions according to anthroposophy and neuroscience. Arte Médica. http://www.neurodiagnose.com.br/aprendizado-e-percepcoes.pdf, acesso em 20/2/2019.

• BALDISSIN, Maurício, Aprendizaje y percepciones humanas según la Antroposofía y las Neurociencias. Revista Numinous. Argentina, p.39 - 44, 2015. http://www.neurodiagnose.com.br/numinous.pdf, acesso em 20/2/2019.

• BALDISSIN, Maurício, Percepciones Humanas: antroposofi´a y neurociencias. Madrid: IAO Arte Editorial, 2014, v.1. p.118. http://www.neurodiagnose.com.br/percepcoes-humanas-sob-a-otica-da-antroposofia-e-das-neurociencias-espanhol.htm.

 

Voltar

Rua Barão de Teffé, 160 - Conj. 408/409

CEP 13.208-760 - Anhangabaú - Jundiaí/SP

Fone/Fax: (11) 4521-7121 / 4522-0382 / E-mail: contato@neurodiagnose.com.br